Kingo Labs
Mecanismo de Antikythera
Home » Ciência » Mecanismo de Antikythera: conheça o misterioso dispositivo

Mecanismo de Antikythera: conheça o misterioso dispositivo

Você sabe quando foi inventado o primeiro computador? Se imagina que foi no começo da década de 1990 ou no fim da década de 1980 está bem enganado. O Mecanismo de Antikythera é conhecido por ser o computador mais antigo do mundo, com mais de 2.200 anos de história. Onde ele foi encontrado? Para que servia? Aqui vamos falar tudo sobre este item milenar.

O que é o Mecanismo de Antikythera?

O Mecanismo de Antikythera é um computador analógico da Grécia antiga. Ele era utilizado para prever as posições dos astros e o acontecimento de eclipses, servia ainda como uma espécie de calendário. Nessa época a Grécia realizava os Jogos Atléticos, antepassados das Olimpíadas, ajudando também a controlar o período entre as edições desse evento. Hoje existe uma cópia do equipamento exposto nos Estados Unidos.

Mecanismo de Antikythera

Como foi descoberto o Mecanismo de Antikythera?

O Mecanismo de Antikythera foi encontrado em 1901, assim como outras estátuas e objetos milenares. Estava em uma região submersa, com 43 metros de profundidade, na ilha Anticítera, próximo a Creta. O item estava bastante corroído e incrustado quando foi resgatado. No começo o equipamento não recebeu grande atenção, que foi dada as estátuas. A partir de 1902 ele passou a ser mais estudado.

Essa descoberta foi por acaso. Um navio de pescadores de esponjas estava navegando pelo oceano, quando aconteceu uma tempestade, então foi preciso parar na ilha. Já com o tempo bom, um dos homens resolveu mergulhar. Na água ele viu um braço e voltou para avisar seus colegas, entre estatuas, joias e a máquina, foram achadas mais de 300 toneladas.

Do que é feito o Mecanismo de Antikythera?

Esse computador analógico é composto por 27 engrenagens de bronze, sendo que todas elas foram desenvolvidas a mão. Acredita-se que quando era utilizado, contava com um caixa de madeira para sua proteção. A maior dessas engrenagens possui 140 milímetros de diâmetro e 223 dentes. A Grécia era um país rico em cobre, metal poderoso e de fácil maleabilidade, por isso foi o escolhido para a construção do equipamento.

Quando foi criado?

De acordo com pesquisadores, o equipamento foi muito bem planejado, não contando com nenhum furo extra. Em uma das partes, é possível conferir o nome dos meses, o que leva historiadores a crerem que teria sido desenvolvido por povos do noroeste da Grécia ou de Siracusa, uma província grega.

Nenhum aparelho semelhante foi encontrado no local. O bronze é considerado um material bastante caro e nobre, assim seria difícil evitar de ser saqueado. Provavelmente o Mecanismo de Antikythera só foi encontrado por estar submerso. Também chegou a ser atribuído a Arquimedes. Estima-se que tenha sido criado há mais de 2.200 anos.

A Grécia dos pensadores

Um equipamento tão complexo para aquele período histórico certamente não poderia ter sido criado por qualquer um. Naquela época diversos filósofos e matemáticos habitavam o país, o mais inteligente era considerado Arquimedes. Ele apresentou diversas contribuições na astronomia, medindo por exemplo a distância entre a Terra e a Lua.

Arquimedes morava na Siracusa, que foi invadida por romanos. Assim que a cidade foi tomada, o filósofo acabou encontrado, desenhando círculos sobre a areia. Os itens achados no local foram todos levados para Roma, já a máquina de Arquimedes ficou com o general Marcellus Claudius. Quase 150 depois, o cônsul e orador Cícero afirmou ter visto a máquina com um dos netos do general.

Certamente a máquina encontrada o fundo do mar não foi feita por Arquimedes, mas sim é uma evolução do equipamento construído por ele tempos antes. Ao longo de 150 anos diversas melhorias devem ter sido feitas. De acordo com Cícero, Arquimedes havia descoberto como representar o fluxo dos planetas, prevendo o clima.

Para que era utilizado o Mecanismo de Antikythera?

O equipamento permitia que fosse controlada as fases da lua, algo fundamental para a época. Era com o astro que eles sabiam o exato momento de realizar o plantio, também poderiam saber quanto teria lua cheia, facilitando viagens noturnas, além disso, os ciclos lunares ajudavam a definir o momento de pagar dívidas, quando entrar em uma guerra e quando organizar eventos festivos.

Outra questão envolvia a previsão de eclipses, mais por motivos humanitários do que práticos. Naquela época esses fenômenos da natureza eram tidos como mau sinal, então evitavam entrar em guerra nestes períodos. Com todas essas utilidades, era considerada uma máquina para prever o futuro, tudo muito bem calculado para evitar erros.

Como o equipamento funcionava?

A máquina contava com diversas engrenagens, que atuavam no seu funcionamento. Acredita-se que ela era movida por meio de uma manivela, com a aplicação de força manual. A manivela serviria de impulso para a engrenagem principal, que assim distribuía a aceleração. Tudo é hipótese, ainda é impossível afirmar como era movida, já que a tal manivela não foi achada.

O mecanismo conta com 30 engrenagens preservadas e conhecidas. Todos os dentes possuem ângulos de 60º, com tamanhos semelhantes aos das engrenagens. Segundo estudos aprofundados sobre o equipamento, o material é único, diferente de tudo produzido antes do século XVI, contando ainda com um dispositivo que fazia as engrenagens rodarem com diferentes velocidades.

Mecanismo de Antikythera
Representação do mecanismo

Outras versões pelo mundo

Encontrado na Grécia, o equipamento tem algumas réplicas pelo mundo. Uma delas foi criada pelo professor universitário Allan George Bromley, cientista da computação australiano, que contou com auxílio do relojoeiro Frank Percival para montar parcialmente a máquina. O item foi importante para gerar novos estudos, que envolveram técnicas de raio-X.

O fabricante de planetários John Gleeve, britânico, desenvolveu uma réplica da máquina, onde o mostrador frontal indica a progressão anual do sol e da lua, enquanto na parte traseira está o período de quatro anos, que auxiliaria a realização dos jogos esportivos. No mostrador secundário está ainda o calendário lunar.

Em 2002 o engenheiro mecânico Michael Wright, com a ajuda de Allan Bromley, utilizou a tomografia linear para desenvolver a sua versão, mostrando além dos movimentos do sol e da lua, o de outros corpos celestes. Por fim, em 2010, Andrew Carol construiu o equipamento utilizando peças Lego, montando um equipamento que funciona perfeitamente.