Kingo Labs
Jesus Cristo existiu
Home » História » Jesus Cristo existiu?

Jesus Cristo existiu?

Jesus Cristo é a maior representação da fé cristã. Tem um espaço tão grande na humanidade que foi a partir do seu nascimento que os anos passaram a ser contados como conhecemos hoje, antes faziam uma espécie de contagem regressiva para a vinda do senhor. Será que Jesus Cristo realmente existiu? Tem provas? Aqui você vai descobrir.

Jesus Cristo existiu?

A história de Jesus Cristo é cercada de mistérios, desde o seu nascimento até a sua icônica morte. Acabou se tornando o grande símbolo da fé cristã, e citado por muitos como o governante de Terra no plano cósmico. Mesmo assim, alguns não acreditam que Jesus realmente tenha existido.

Quem foi Jesus Cristo?

Também chamado de Jesus de Nazaré, é o principal personagem do cristianismo. Foi ele quem propagou a maioria e os principais ensinamentos da fé cristã. É considerado Filho de Deus, expressão encontrada em muitos textos do Antigo Testamento e em alguns do Novo Testamento. Não existe uma grande confiabilidade entre quem realmente foi esta pessoa e o que é descrito na bíblia.

A maior parte dos estudiosos sobre a vida de Cristo acredita que ele realmente tenha existido. Segundo costa, teria sido um pregador judeu da Galileia, que foi batizado por João Batista e morreu crucificado por ordem de Pôncio Pilatos, igualzinho é narrado no livro cristão. Era um líder de movimento apocalíptico, sábio e filósofo.

Quando viveu Jesus Cristo?

Não existe consenso em relação ao ano de nascimento de Jesus. John Meier garante que teria sido entre 5 e 6 a.C. enquanto Karl Rahner diz ter sido em 4 a.C. Outros preferem dizer que foi em 2 a.C., conforme o cristianismo primitivo. Jesus nasceu em algum período próximo do fim do ano, não necessariamente em 25 de dezembro, como é celebrado até hoje.

Outros nomes de Jesus

Jesus Cristo é citado de mais de 300 formas na bíblia, algo que inclui citações como Filho de José, Bom Mestre, Davi, Nazareno, Sumo Sacerdote dos bens futuros, O Rei de Israel, O Rei dos Judeus, Criador, Cristo de Deus e Bom Pastor, entre muitos outros. Fora isso, ele é chamado de Isa pelos muçulmanos e de Messias por aqueles que aguardavam as realizações prometidas pelo Antigo Testamento.

Ele é citado em livros fora a bíblia?

Sim. Não é só na bíblia que existem citações envolvendo Jesus de Nazaré. Ele foi citado na obra de Flávio Josefo, que viveu entre 37 e 100 d.C. Os textos deixados por ele são bastante utilizados e aceitos por pesquisadores. “Naquela época vivia Jesus, homem sábio, se é que o podemos chamar de homem. Ele realizava obras extraordinárias, ensinava aqueles que recebiam a verdade com alegria e fez-se seguir por muitos judeus e gregos”, diz um dos trechos.

Públio Cornélio Tácito foi um historiador romano, orador e governantes asiático que viveu entre 55 e 120 d.C., deixando escrituras sobre Jesus. Não era cristão e não gostava dessa prática, mas admitia a existência de Cristo. Dificilmente os seus dizeres foram falsificados, já que os textos apresentam riqueza de detalhes.

Plínio, o Jovem, que viveu entre 61 e 114 d.C. foi outro que escreveu sobre as peripécias de Jesus Cristo. Deixou 122 cartas trocadas com um imperador, confessando a morte de homens e mulheres, apresentando dúvida se deveria continuar matando cristãos. “Os fez amaldiçoarem a Cristo, o que não se consegue obrigar um cristão verdadeiro a fazer”.

O que é Jesus histórico?

Esse termo é uma tentativa de reconstruir a figura de Jesus de Nazaré. Para isso, pesquisadores e estudiosos analisaram os evangelhos canônicos na biografia, juntamente com o contexto histórico e cultura do período em que Cristo viveu. Essa pesquisa iniciou no século XVIII e segue até hoje, buscando respostas ainda escondidas.

Jesus histórico foi um homem que viveu na Galileia durante os primeiros anos do século I, filho de um carpinteiro e que provavelmente tinha irmãos. Acreditam que teria sido discipulo de João Batista, teria sido rabino por menos de um ano, até sua morte no ano 30, fruto de conflito com a elite local. Era profeta e professor de ética, que adorava contar parábolas.

Jesus comentava bastante sobre o Reino de Deus, sendo que alguns defendem neste caso uma visão mais literal, embora tenha enviado apóstolos para curar pessoas. A maioria das fontes utilizadas é anterior ao primeiro século depois de sua morte, elas são consideradas caso sejam atestadas em mais de um texto, por diferentes escritores.

Jesus realmente fazia milagres?

Jesus realmente existiu, mas não era muito conhecido durante a sua vida, ganhando destaque já perto da morte. Pagãos e judeus sempre acusaram Jesus de Nazaré de ter sido um mágico ou ilusionista. Outros pensavam que era um feiticeiro. Acusam ainda de ter buscando práticas deste tipo para ganhar fama e vantagens pessoais.

As escrituras católicas afirmam que os milagres não aconteciam por meio de técnicas médicas ou então pela atuação de demônios, mas sim com o poder sobrenatural de Deus. Jesus teria feito milagres para confirmar que era o filho do criador. No total teriam sido mais de 30 milagres, realizados ao longo de um curto espaço de tempo.

Jesus foi crucificado?

Sim. É praticamente consenso que Jesus Cristo morreu crucificado. Ser pregado em uma cruz era penalidade para os romanos escravos que matavam seus senhores. Servia ainda para rebeldes políticos, por onde provavelmente Jesus foi indiciado.

Jesus foi preso numa sexta-feira que antecedia a Páscoa, provavelmente entregue por um de seus apóstolos. Já a parte a Via Crúcis não é aceita, já que dificilmente colocariam uma liderança rival para ser humilhada em público. Sobre a ressurreição, existem poucas informações concretas.

Onde está o corpo de Jesus?

Conforme a tradição cristã, apenas em 1555 o túmulo onde foi deixado o corpo de Jesus Cristo foi aberto. Depois foi coberto com uma edícula com placas de mármore. Uma nova abertura aconteceu em 2016, quando pesquisadores passaram a estudar o lugar. O túmulo é abrigado pela Basílica do Santo Sepulcro, erguida a pedido de Helena, mãe do imperador Constantino. É localizado em Jerusalém.

Comente!