Kingo Labs
O incidente de Roswell
Home » Ufologia » O incidente de Roswell: entenda o mistério

O incidente de Roswell: entenda o mistério

No fim da década de 1940 alguns destroços foram encontrados na cidade americana de Roswell. Inicialmente ninguém sabia do que se tratava, depois as autoridades afirmaram que era um balão de controle. Será? Ao longo dos anos diversas teorias indicam que se tratava de uma nave alienígena que acabou acidentada.

Confira todos os detalhes a seguir.

O incidente de Roswell

Essa situação já foi conhecida como o maior caso de contato com extraterrestres da história. Nos Estados Unidos, um fazendeiro encontrou alguns destroços enquanto cavalgava, depois avisou as autoridades, que foram até lá, recolheram os materiais e nunca mais ninguém viu. Levou 50 anos para que a Força Aérea entregasse documentos sobre o caso.

Onde fica Roswell?

Roswell é uma cidade localizada no estado do Novo México, nos Estados Unidos, no Condado de Chaves. Hoje a cidade conta com pouco mais de 48 mil habitantes, sendo que na época do Caso Roswell tinha pouco mais de 25 mil moradores. A cidade não tem muita coisa de especial, a não ser o suposto incidente em que foi visitada por extraterrestres no fim da década de 1940.

Quando aconteceu o incidente em Roswell?

O Caso Roswell foi registrado no dia 8 de julho de 1947, onde supostamente um disco voador foi visto por moradores daquela região. O assunto ganhou grande repercussão, sendo retratado nos principais jornais da época. A polêmica foi tão grande que até hoje existem teorias sobre o que teria acontecido. Inclusive você está lendo este texto porque tem curiosidade sobre o assunto.

Quem registrou o incidente em Roswell?

O fazendeiro William “Mac” Brazel teria encontrado destroços de um objeto voador e concedeu uma entrevista ao jornal Roswell Daily Record, contando sobre o que teria acontecido. A notícia causou uma situação desconfortável em toda a cidade, porém, um dia depois desmentiram a história, dizendo que, na verdade, os itens se tratavam de um balão meteorológico.

O homem afirmava que uma semana antes, no dia 2 de julho, cavalgava com o seu filho Vernon, de 8 anos na época, quando aproximadamente 14 km longe de onde morava, encontrou a carcaça. Ele não deu muita importância, já que estava acostumado a encontrar partes de balões meteorológicos na região. Dois dias depois, no feriado de 4 de julho, ao lado da mulher e de outro filho, foi conferir o que era.

No dia 7 do mesmo mês, o fazendo Brazel foi até a delegacia do xerife George Wilcox e informou que havia encontrado alguns destroços. A autoridade telefonou para a base aérea de Roswell, que enviou o major Billyard Ray Cyrus e o capitão Sheridan Cavitt para analisarem os itens. O major recolheu o material e levou para Fort Worth.

As falas do piloto Kenneth Arnold

Duas semanas antes dos destroços serem encontrados na cidade de Roswell, o piloto Kenneth Arnold havia declarado que enquanto sobrevoava o estado de Oregon, avistou aeronaves voando em formação e disse que elas se moviam como se fossem pedras deslizando na superfície de um lago. A imprensa passou a tratar a situação como um disco voador. Na sequência milhares de relatos sobre supostos avistamentos foram colhidos.

Teorias da conspiração

Desde que o caso foi registrado muitas hipóteses foram levantadas. A partir de 1970 o interesse cresceu, quando ufólogos passaram a afirmar que um ou mais naves com alienígenas haviam se chocado com a superfície terrestre e que os tripulantes não tinham morrido, mas sim recuperados pelos militares, que acobertaram toda a situação.

Recolhimento suspeito

Assim que as autoridades foram informadas, logo o material foi recolhido. Passadas 4 horas, o que foi encontrado já estava em Fort Worth, cerca de 960 quilômetros distante de Roswell. Relatos indicam que os itens encontrados eram elásticos enegrecido, com pedaços disformes que parecia ser uma tela ou tecido fino.

Os extraterrestres foram levados para a Área 51?

Teoristas da conspiração afirmam que a nave alienígena encontrada durante o incidente em Roswell foi levada para a Área 51. Por lá os engenheiros norte-americanos teriam praticado engenharia reversa e estudado a tecnologia bem avançada trazida pelos extraterrestres. Aliás, histórias apontam que na Área 51 era comum a presença de criaturas vindas de outros planetas, caminhando livremente pela parte interna.

O que dizem o relatórios oficiais?

O congressista pelo Novo México, Steven Schiff, pediu em 1994 ao Escritório Geral de Auditoria que entregassem os documentos referentes ao incidente em Roswell. Assim que a Força Aérea dos Estados Unidos recebeu o comunicado, publicou dois relatórios indicando as conclusões. O primeiro deles tinha 25 páginas, falando sobre a origem dos destroços.

O segundo foi divulgado em 1997, fala sobre corpos de alienígenas. Segundo a Força Aérea, estes corpos relatados pelas testemunhas consistiam em bonecos de teste do Projeto High Dive. Eles eram carregados por balões de alta altitude. O relatório informou ainda que era falsa a informação de que extraterrestres haviam morrido em um hospital da região.

Os destroços eram de balões meteorológicos?

Desde 1947 a Força Aérea norte-americana garante que os destroços encontrados em Roswell não passam de um balão de vigilância. No relatório de 1994 foi informado que os balões pertenciam ao Projeto Mogul, altamente secreto e projetado para encontrar possíveis testes nucleares soviéticos. Inclusive o primeiro destes testes veio dois anos mais tarde, em 1949.

O equipamento utilizado era carregado com uma série de balões, feitos de Neoprene ou polietileno, interconectados. Os destroços do Novo México provavelmente seriam do quarto voo, iniciado em 4 de junho. Originalmente este voo contava com 21 balões de Neoprene, um microfone, explosivos, interruptores de pressão, baterias, anéis de lançamento e três paraquedas.

O que pensam os cientistas?

A maioria dos cientistas não concordou com o fato do governo ter escondido por tantos anos as informações sobre o incidente. Antes das liberações oficiais, alguns deles conseguiram previamente na Justiça alguns documentos isolados.

Homem diz que conheceu o ET do caso Roswell

O brasileiro Domingos Segunda Feira lançou um livro contando sobre a sua amizade que durou 10 anos com o extraterrestre do incidente de Roswell. São mais de 400 páginas, apresentando novas tecnologias futurísticas. De acordo com o autor, tudo começou em 1991, numa cidade próxima de Curitiba. O nome da criatura seria Dom Boava e tinha aparência humana.